phone (96) 3223-4242 (96) 99142-4232
Milionário em pouco tempo? Especialistas recomendam cautela com promessas de rendimento fácil

Milionário em pouco tempo? Especialistas recomendam cautela com promessas de rendimento fácil

Economia
Cunha & Tavares
Cunha & Tavares
Escritório de Contabilidade

A regra geral é que aplicações com alta rentabilidade oferecem maior risco ao investidor; veja lista de 4 recomendações para não cair em ciladas na hora de escolher investimentos.

Você está navegando na internet e, de repente, se depara com um anúncio de investimento prometendo um ganho extremamente sedutor. Quem enfrenta dificuldade para fazer seu pé de meia pode ver em ofertas como essas a solução dos seus problemas. No entanto, especialistas alertam que, antes de escolher qualquer investimento, é preciso ter muito cuidado – especialmente porque, em geral, quanto maior a rentabilidade de uma aplicação, maior o risco.

Os educadores financeiros também ensinam que, além de quanto o dinheiro vai render e as possibilidades de perdas, também deve entrar na avaliação o prazo de uma aplicação – ou seja, quanto tempo o investidor vai ter que esperar para resgatar seu dinheiro.

Todos esses fatores variam bastante de acordo com o investimento, mas o que todos eles têm em comum é: “não existe milagre”, como comenta a consultora financeira Daniela Casabona, da FB Wealth.

“E também não existe ficar rico na bolsa ou ficar rico com investimentos. A gente fica rico construindo nosso patrimônio, tendo disciplina e planejamento, investindo a longo prazo e fazendo um bom investimento”, afirma Casabona.

Michael Viriato, coordenador do laboratório de finanças do Insper, concorda. “Na verdade, se a gente olhar para trás, mesmo aqueles investidores de que a gente sempre ouve falar que construíram fortunas em investimentos, essas fortunas foram construídas ao longo de décadas”, aponta.

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM), órgão que regula o mercado de capitais no Brasil, reforça que o investidor não deve “acreditar em ofertas de investimentos por meio de sites, normalmente acompanhadas de promessas de ganho rápido ou sem risco, de propostas para compartilhar ‘informações privilegiadas’ ou dicas e pressões para que a tomada de decisão ocorra antes mesmo de ter a oportunidade de investigar a oferta como um todo”.

O órgão alerta ainda que o investidor não deve tomar decisões "baseado exclusivamente em opiniões manifestadas na Internet, em redes sociais, blogs, chats etc.".

Esse investimento é tão bom quanto parece?

Os especialistas recomendam alguns cuidados ao se deparar com um anúncio de investimento, ou recomendações de aplicações. Uma delas é desconfiar de rentabilidades muito mais altas que o habitual, ou seja, que parecem até boas demais para ser verdade.

“Quando você vai adquirir algum produto, você ouve eventualmente algumas propagandas milagrosas de um preço muito baixo, e isso provavelmente significa que o produto tem algum problema. Ou ele é algum tipo de fraude. No investimento você tem que tomar o mesmo cuidado, especialmente quando o retorno oferecido é muito mais alto do que os retornos que você costuma ouvir”, recomenda Viriato.

Veja abaixo uma lista de 4 cuidados recomendados pelos especialistas ouvidos pelo G1:

1. Confira se a rentabilidade é muito mais alta que a média do mercado

O investidor pode se basear no Certificados de Depósito Interbancário (CDI) para saber se uma rentabilidade está próxima ou não do que seria considerado habitual do mercado.

“O CDI é a taxa base de referência dos investimentos que está próxima da taxa Selic. Hoje essa taxa base está em cerca de 0,5% ao mês. Então, quando você ouvir alguma coisa próxima de 3, 4% ou mais ao mês, você não necessariamente precisa duvidar, mas você precisa desconfiar que isso pode sinalizar um risco muito elevado, ou pode ser um tipo de fraude”, alerta Viriato.

2. Pesquise sobre a instituição que está oferecendo o investimento

Se a oferta de investimento for de um banco ou corretora, uma opção é buscar pelo nome da instituição no site da CVM. Também vale procurar em sites de reclamação de serviços para saber se a empresa tem boa reputação ou se é alvo de muitas reclamações.

3. Não se baseie em “pontos fora da curva”

O investidor precisa ter em mente que não é porque uma pessoa obteve ganhos consideráveis com um determinado tipo de investimento que isso vai funcionar para todos. É necessário ainda considerar que existem casos de ganhos rápidos que são exceções, não regra – e que eles geralmente envolvem bastante risco.

“Ninguém fica milionário da noite para o dia sem correr um risco significativo simplesmente por acompanhar notícias ou relatórios que são publicamente vendidos a todos. Aqueles que ganharam muito dinheiro fizeram alguma coisa diferenciada, ou seja, que não é igual ao que todo mundo tem acesso”, diz Viriato.

4. Não se arrisque antes de ter um colchão de emergência

Se você decidiu fazer uma aplicação mais arriscada em busca de mais rentabilidade, avalie primeiro qual seria sua situação se algo der errado. Se perder esse dinheiro significaria ficar sem sua reserva de emergência, a recomendação é optar por investimentos mais seguros. “Nunca comprometa um investimento que é o dinheiro que você está juntando para a sua vida, ou para a faculdade do filho, por exemplo”, recomenda Casabona.

Fonte: G1

Saiba quando receber o seu 13º salário 2019
14 Nov 2019 Economia
Governo apresenta programa de estímulo ao emprego; veja ponto a ponto
13 Nov 2019 Economia
eSocial passa a substituir Livro de Registro de Empregados
01 Nov 2019 eSocial
newsletter

Cadastre-se

E receba conteúdos exclusivos diretamente no seu e-Mail!